Connect with us

Mundo

Após acordo, Julian Assange é condenado em tribunal dos EUA e posto em liberdade

Published

on


Criador do WikiLeaks concordou em assumir acusação por espionagem durante audiência nas Ilhas Marianas do Norte. Ativista ficou mundialmente conhecido pela divulgação de arquivos confidenciais e militares dos EUA. Julian Assange chega a tribunal dos EUA para audiência que pode libertá-lo
O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, se declarou culpado e foi condenado durante uma audiência no tribunal dos Estados Unidos nas Ilhas Marianas do Norte, na noite desta terça-feira (25). Apesar da condenação por espionagem, devido a um acordo, ele foi posto em liberdade.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
A audiência, começou pouco após as 20h, pelo horário de Brasília, e durou cerca de três horas. A juíza do caso, Ramona Villagomez Manglona, aceitou o acordo acertado entre procuradores norte-americanos e a defesa de Assange.
“Você estará autorizado a sair deste tribunal como um homem livre”, disse a juíza após a sentença.
A juíza disse ainda ser “justo” e “razoável” aceitar como sentença os 62 meses de prisão que Assange já cumpriu no Reino Unido. Por fim, Manglona ainda desejou “feliz aniversário” antecipado para o criador do WikiLeaks, que comemora 53 anos na próxima semana.
A audiência desta terça-feira é fruto de um acordo de Assange com a Justiça dos EUA. Ele se declarou culpado por violar a Lei de Espionagem dos Estados Unidos. A acusação envolve conspiração para obter e divulgar documentos classificados de defesa nacional norte-americana.
Ele disse ao tribunal acreditar que a Lei de Espionagem contradizia os direitos da Primeira Emenda dos Estados Unidos, mas que aceitava o fato de que incentivar fontes a fornecer informações confidenciais para publicação pode ser ilegal.
“Trabalhando como jornalista, incentivei minha fonte a fornecer informações consideradas confidenciais para publicá-las”, afirmou na audiência.
Depois de deixar o tribunal, Assange foi para o aeroporto e embarcou em voo rumo a Camberra, na Austrália. A chegada foi estimada para as 7h de quarta-feira (26), pelo horário de Brasília. O ativista é australiano e deve viver no país com a esposa e os dois filhos.
Julian Assange ficou mundialmente conhecido por fundar o WikiLeaks, criando uma rede de ativistas. A organização foi responsável pelo vazamento de cerca de 700 mil documentos classificados dos Estados Unidos, o que irritou autoridades norte-americanas.
Quem é Julian Assange e o que é WikiLeaks? Entenda a polêmica que envolve vazamento de documentos secretos dos EUA
Assange sai de tribunal dos Estados Unidos como homem livre, em 25 de junho de 2024
REUTERS/Kim Hong-Ji
Acordo
O acordo fechado entre Assange e a Justiça dos Estados Unidos encerra uma disputa legal que se arrastou por 14 anos.
A audiência de Assange foi feita nas Ilhas Marianas do Norte por ser o território mais próximo da Austrália sob domínio dos Estados Unidos. Além disso, a ilha conta com um tribunal, e o ativista não aceitou ir para a América.
Assange chegou às Ilhas Marianas do Norte durante a tarde desta terça. Assim que saiu da prisão de segurança máxima em Londres, na manhã de segunda (24), o ativista pegou um voo privado em direção ao território.
Durante o trajeto, o voo chegou a ser o mais monitorado do mundo no FlightRadar24, informou ao g1 o site especializado em monitoramento aéreo em tempo real.
LEIA TAMBÉM:
Audiência em ilha de 50 mil habitantes, saída da prisão, ida para Austrália: entenda os detalhes do acordo que libertará Assange
Assange pedirá perdão ao governo dos EUA e será um ‘homem livre’, afirma esposa
Wikileaks: por que Julian Assange está perto de ser libertado após anos de batalhas jurídicas
Fundador do WikiLeaks, Julian Assange chega a tribunal dos EUA para audiência que pode libertá-lo em 25 de junho de 2024.
Reuters
VÍDEOS: mais assistidos do g1

Anúncios

Mundo

Vance enaltece Trump, critica a imprensa e ironiza Biden em estreia antecipada

Published

on


Candidato à vice-presidência dos EUA pelos republicanos afirmou que Trump ‘baixou o tom’ após o atentado e reagiu como um líder. Vance irá discursar em convenção nesta quarta-feira (17). J.D. Vance, candidato à vice-presidência dos Estados Unidos, durante evento em 17 de julho de 2024
Anna Moneymaker/Getty Images via AFP
O candidato à vice-presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, J.D. Vance, disse que Donald Trump respondeu como um líder após o atentado que sofreu no sábado (13). Ele também acusou a imprensa de mentir e ironizou o presidente Joe Biden.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Vance, que deve discursar na noite desta quarta-feira (17) na Convenção Nacional Republicana, antecipou sua estreia com uma aparição em um fórum paralelo à reunião principal. No evento, ele disse comentou o atentado de Trump.
“Achei que tivéssemos acabado de perder um grande presidente, o que seria terrível para o nosso país”, afirmou.
“Convocou uma união nacional, pediu calma, mostrou liderança, e a mídia continua dizendo que querem que alguém baixe o tom. Atiraram em Donald Trump e ele baixou o tom. Isso é o que faz um verdadeiro líder”, disse Vance.
O candidato a vice-presidente afirmou que “a mídia mentiu da forma mais agressiva e caluniosa” sobre Trump, mas que “ele continua avançando, perseverando e lutando”.
Vance também fez uma comparação entre Trump e Biden. Ele afirmou que, enquanto o ex-presidente se tornou “sinônimo de luxo e beleza”, Biden gosta de “fingir” que é da classe trabalhadora.
LEIA TAMBÉM
J.D. Vance: quem é o candidato a vice na chapa de Trump
Joe Biden é diagnosticado com Covid-19 e cancela discurso em Las Vegas
Atirador foi identificado como suspeito uma hora antes de atentado contra Trump, diz jornal
Jovem aliado
Criado em uma região industrial em decadência, Vance integrou o corpo de fuzileiros navais e se formou em Direito na Universidade de Yale. Ele passou pelo Vale do Silício e, em 2022, venceu a eleição para o Senado por Ohio, com o apoio de Trump.
Vance completará 40 anos no próximo mês e será o terceiro vice-presidente mais jovem da história – e um dos menos experientes – caso Trump vença as eleições.
O republicano foi um crítico ferrenho de Trump na campanha presidencial de 2016. Agora, é um dos principais defensores da ideologia MAGA (“Make America Great Again”).
No Senado, Vance se destacou por sua oposição à ajuda à Ucrânia, e exigiu que os recursos fossem destinados à luta contra a imigração ilegal.
Defensor do fechamento das fronteiras e do isolacionismo, Vance é descendente de migrantes escoceses-irlandeses e casado com Usha Chilukuri, de raízes indianas, com quem tem três filhos.
Para o pesquisador Frank Luntz, Trump ter um aliado jovem como Vance garante a continuidade do movimento MAGA.
“Os operários, essa classe trabalhadora, essa compreensão dos eleitores que tradicionalmente eram democratas e que agora encontraram um lar em Donald Trump, ele enfatiza isso”, disse Luntz.
O discurso de Trump na convenção republicana está previsto para quinta-feira (18).
VÍDEOS: mais assistidos do g1

Anúncios
Continue Reading

Mundo

Hóspedes encontrados mortos em hotel 5 estrelas foram envenenados com cianeto, diz polícia tailandesa

Published

on


Suspeito de envenenar as vítimas também morreu, segundo a polícia. Familiares afirmaram que havia uma disputa entre o grupo de vietnamitas relacionada a uma dívida. Policiais encontraram corpos de vietnamitas em hotel de luxo da Tailândia
Chatkla Samnaingjam/AP
Os seis hóspedes que foram encontrados mortos dentro de um hotel cinco estrelas, na Tailândia, foram envenenados com cianeto, informou a polícia nesta quarta-feira (17). As investigações apontam que o responsável pelo envenenamento também morreu.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Os corpos foram encontrados em um hotel de Bangkok, na terça-feira (16). Os hóspedes eram vietnamitas, sendo que dois também possuíam cidadania norte-americana.
A hipótese de envenenamento já era levantada pela polícia desde o início das investigações. Em uma entrevista coletiva nesta quarta, as autoridades disseram que cianeto foi encontrado em copos e em um recipiente com água.
Exames de sangue feitos nos corpos também encontraram evidências do veneno, segundo a polícia.
O grupo era composto por três homens e três mulheres. Todas as vítimas foram encontradas no mesmo quarto do hotel. No entanto, os hóspedes chegaram ao hotel em dias diferentes.
Familiares disseram à polícia que havia uma disputa entre as vítimas envolvendo uma dívida.
As vítimas deveriam ter feito o check-out no hotel na terça-feira. As bagagens dos hóspedes já estavam fechadas, segundo a polícia.
Devido à demora para o check-out, uma camareira foi até o quarto e encontrou a porta trancada pelo lado de dentro. A polícia foi acionada.
Dentro do quarto, os agentes encontraram pratos de comida intocados que haviam sido encomendados pelos hóspedes no dia anterior. Por outro lado, bebidas estavam abertas.
A polícia acredita que os vietnamitas tenham morrido cerca de 24 horas antes de os corpos serem encontrados.
LEIA TAMBÉM
Mais de 60 crianças foram detidas, espancadas e torturadas durante estado de emergência em El Salvador, aponta relatório
AR-15: como a arma usada para tentar matar Trump virou ‘o fuzil da América’
VÍDEO: Caça venezuelano persegue e intercepta avião usado pelo narcotráfico
VÍDEOS: mais assistidos do g1

Anúncios
Continue Reading

Mundo

Brasileiro morre durante viagem de formatura em Bariloche

Published

on


Adolescente de 17 anos morava com a família no Paraguai e será sepultado em Santa Bárbara d’Oeste. Leonardo Rainha de Castro, jovem de 17 anos que morreu em acidente durante viagem a Bariloche
Reprodução/Facebook
Um brasileiro de 17 anos morreu após cair de um prédio durante uma viagem de formatura em Bariloche, na Argentina. Segundo portais de notícias argentinos, o acidente ocorreu na noite de 8 de julho, em um hotel.
Leonardo Rainha de Castro era brasileiro, mas morava com a família no Paraguai. Ele vai ser velado e sepultado em Santa Bárbara d’Oeste (SP), nesta terça (16).
📲 Acesse a comunidade do g1 Piracicaba no WhatsApp
O jovem teria caído do 6º andar do prédio, que fica a 150 metros do Centro Cívico de Bariloche, por volta de 22h30 de segunda-feira (8). Ele não estava hospedado neste hotel, mas os amigos estavam.
De acordo com portais locais, ele chegou a ser atendido por uma empresa privada de saúde, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois. A autópsia apontou que nenhuma outra lesão foi encontrada no jovem e a causa da morte foi a queda.
Os colegas de Leonardo foram ouvidos e as circunstâncias do acidente estão sendo investigadas pela polícia argentina.
Leonardo Rainha de Castro, adolescente brasileiro que morreu em Bariloche
Reprodução/Funerária Araújo
O Colégio Anglo-Americano do Paraguai, onde o jovem estudava, emitiu uma nota nas redes sociais em que lamenta o acidente:
“A comunidade educativa do Colégio Anglo-Americano Paraguai lamenta profundamente o falecimento de nosso querido aluno do 3º ano, Leonardo Rainha de Castro. Sua partida deixa um vazio em nossos corações. Que Deus o receba em seu santo reino e te conceda paz eterna.”
Segundo a Funerária Araújo Orsola, o velório acontece na Igreja Nossa Senhora Aparecida a partir de 13h. Já o sepultamento foi marcado para 16h, no Cemitério da Paz.
Colégio Anglo-Americano do Paraguai lamenta morte de aluno em viagem a Bariloche
Reprodução/Instagram
VÍDEOS: Tudo sobre Piracicaba e Região
Veja mais notícias sobre a região na página do g1 Piracicaba.

Anúncios
Continue Reading

0 Items Found

No listings found.

Em alta